São asas que eu nunca pude usar.

Um diário. Um desejo. Um desabafo. Um desaforo. Um suor que escorre do coração aos dedos. Uma insônia que atormenta. Um medo, que transborda. Pensamentos que reviram e remexem e acabam vindo parar aqui.

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Por que demoramos tanto?


Corpo. Língua.
Entrada. Saída.
Tudo é caos.
Molhado. Suado.
Em cima. Do lado.
Tudo se desfaz.

Os nossos rios correm em direções contrárias.
Nossas estradas não estão sinalizadas.
É permitido correr e estacionar nas minhas ruas.
Eu transbordo ao tocar sua pele nua.
Por que demoramos tanto?

Corpo. Língua.
Entrada. Saída.
Tudo é caos.
Molhado. Suado.
Em cima. Do lado.
Tudo se desfaz.

As nossas vidas correm em direções contrárias.
Minha estrada tá vazia sem você na entrada.
Não nos permitimos correr, estacionamos.
Eu transbordo de saudade.
Por que demoramos tanto?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Psiu, deixe um comentário! ♥